domingo, 30 de outubro de 2011

CD traz o canto de 340 espécies de pássaros da Amazônia

Vozes da Amazônia na sua casa

Para estudar, colecionar ou relaxar, uma coletânea de quatro CDs  cataloga o canto de 340 espécies de pássaros da Amazônia. Os CDs, fruto da iniciativa inédita de pesquisadores vinculados ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), terão toda a verba arrecadada para manter as pesquisas e o sonho de continuar a coletânea até catalogar todos as vozes das cerca de 1,2 mil espécies de pássaros da Amazônia brasileira. Ouça: O canto do Inhambu-de-cabeça-vermelha O canto do Garrinchão-coraia O canto do Araçari-negro O canto do Anacã O canto do Formigueiro-ferrugem Os cantos do Vozes da Amazônia foram gravados ao longo de 31 anos pelos pesquisadores Mario Cohn-Haft, Luciano Nicolás Naka, Philip Stouffer, Curtis Marantz, Andrew Whittaker e Richard Bierregaard do Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais do Inpa. "Neste primeiro volume, inserimos cantos de pássaros do norte do Amazonas, leste de Roraima, norte do Pará, todo o Amapá e as Guianas Inglesa, Francesa, Suriname e leste da Venezuela", afirmou o ornitólogo Cohn-Haft. Com brochura bilíngüe, os CDs estão todos catalogados com o nome científico, o popular e o trecho cantado. A coletânea está à venda pela editora do Inpa, no e-mail editora@inpa.gov.br. O trabalho foi financiado pela ONG Conservação Internacional do Brasil. Segundo o ornitólogo, a idéia da coletânea surgiu para servir de material didático para estagiários, alunos e pesquisadores do Inpa.

Ouça e sinta-se na Amazônia!

Garrincha-coraia (Thryothorus-coraya)


Comprimento: 14,5 cm. Presente localmente em grande parte da Amazônia brasileira, estendendo-se em direção sul até Goiás e para leste até o Maranhão. Encontrado também nas Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador e Peru. É comum no sub-bosque ou no chão de florestas úmidas e capoeiras, sendo mais freqüente próximo a água.Vive aos pares ou em grupos familiares. Junta-se a bandos mistos de aves insetívoras, capturando presas inclusive nos emaranhados de cipós do estrato médio e das bordas. Faz ninho semelhante ao do garrinchão-pai-avô. Conhecido também como garrincha-coraia.

Anacã (Deroptyus accipitrinus)


O anacã (Deroptyus accipitrinus) é uma ave amazônica psitaciforme da família dos psitacídeos. Tais aves chegam a medir até 35 cm de comprimento, com um grande cocar de penas encarnadas e dotadas de uma larga faixa azul. No Brasil é restrita à Bacia Amazônica, norte do Mato-grosso e leste do Maranhão. A fêmea é nitidamente maior. Vive na beira das matas. Alimenta-se de frutos e insetos.

Formigueiro-ferrugem (Myrmeciza ferruginea)



O Formigueiro-ferrugem (Myrmeciza ferruginea) é uma espécie de ave da família Thamnophilidae. Pode ser encontrada nos seguintes países: Brasil, Guiana Francesa, Guiana, Suriname e Venezuela. Os seus habitats naturais são: florestas subtropicais ou tropicais húmidas de baixa altitude. A característica mais notável deste pássaro é a área azul brilhante ao redor dos olhos.Suas pernas e maxilar inferior também são azul. A parte superior é marrom e tem duas bandas da mesma cor alinhada em bege nas asas. As bochechas e no peito são mais escuros na cor delimitada por uma linha branca, a partir de trás do olho, indo para trás. A fêmea tem uma mancha branca na garganta, o macho não tem. Eles são geralmente encontrados em pares no chão da floresta.

Maú (Perissocephalus-tricolor)


Presente no Brasil apenas ao norte do Rio Amazonas, do Rio Negro para leste até o Amapá. Encontrado também nas Guianas, Venezuela e Colômbia. Varia de incomum a localmente comum na copa e no estrato médio de florestas úmidas não muito altas. Vive principalmente solitário, congregando-se em pequenos grupos de até 4 indivíduos em exibições durante o período reprodutivo. Alimenta-se de frutas e, eventualmente, de grandes insetos. Conhecido também como maú, pássaro-maú, pássaro-capuchinho e mãe-de-balata.

Inhambu-de-cabeça-vermelha (Tinamus-major)


O Inhambu-de-cabeça-vermelha é um tinamiforme da família Tinamidae. É conhecido também como inhambuaçu, inhambu-galinha (Amazonas), inhambu-grande, inhambu-serra, inhambu-toró e macuco-do-pantanal. Mede cerca de 41 cm e pesa 1,05 kg. É ave cinegética. Muito arisca e cuja plumagem apresenta excelente coloração de camuflagem. Na região Norte do Brasil, divide seu hábitat com outras espécies do gênero Tinamus, como a azulona (Tinamus tao) e o macuquinho ou inhambu-galinha (Tinamus guttatus), o menor representante do gênero. Sendo de maior ocorrência nessa região, a subespécie Tinamus major olivascens. Alimenta-se de vermes, insetos, sementes, brotos e frutos. Eles praticam a poligiandria, ou seja, um grupo de machos tem uma relação exclusiva com um grupo de fêmea, e qualquer macho do grupo pode se acasalar com qualquer fêmea do grupo. Uma vez fertilizada, a fêmea põe cerca de três ovos (arredondados de cor azul) em cinco ou seis dias. 

Os ovos são depositados sobre folhas ou entre raízes, sem proteção alguma, e transfere a responsabilidade de chocar os ovos para o macho. Ele passa os próximos 17 dias chocando e tentando protegê-los.


Para comprar os CDs, ligue para (92) 3643-3223 ou mande e-mail para editora@inpa.gov.br .

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.