sábado, 9 de abril de 2011

Vídeo Código Florestal em Perigo - Fundação Grupo Boticário e ISA




Assine o manifesto http://www.avaaz.org/po/peticao_codigo_florestal/?sos e diga não às alterações no Código Florestal Brasileiro.

Precisamos de 200 mil assinaturas em nossa petição. Ela ajudará evitar que substitutivo ao projeto de lei n° 1876/99 - que prevê mudanças no Código Florestal seja aprovado. A votação está prevista para breve no Congresso Nacional.

Veja no vídeo como essas alterações poderão reduzir drasticamente as áreas naturais protegidas de nosso país, prejudicando o meio ambiente e a sociedade civil.
Você tem papel decisivo para que possamos proteger nosso maior patrimônio.
Assine e divulgue nas redes sociais. Juntos vamos impedir que o Brasil entre na contramão da história.

Saiba mais, acesse: http://www.sosflorestas.com.br


Fundação Grupo Boticário e SOS Florestas lançam animação para mobilizar sociedade e estimular a assinatura do manifesto contra o substitutivo de Aldo Rebelo e em defesa de propostas que conciliem produção e conservação

A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, em parceria com a campanha SOS Florestas, lançou nesta segunda-feira o vídeo “Código Florestal em Perigo”. A animação alerta para os efeitos negativos das alterações no Código Florestal previstas no substitutivo do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) que está pronto para ir ao plenário da Câmara dos Deputados.

O vídeo está disponível no Youtube (link também disponível em box ao lado). A campanha é uma aliança entre organizações ambientalistas e movimentos sociais que são contrários ao projeto de Rebelo e da qual a Fundação faz parte. O objetivo dessas instituições é utilizar o filme como uma ferramenta de mobilização social, incentivando o público a aderir à causa e assinar um manifesto virtual que será enviado aos parlamentares.

O vídeo apresenta a dimensão dos impactos decorrentes da redução das Áreas de Preservação Permanentes (APPs) – beira de rios, topos de morros e encostas íngremes – e de Reserva Legal (RL), caso sejam aprovadas as alterações propostas.

Com a diminuição das APPs, por exemplo, os riscos de erosão, deslizamentos e enchentes, tanto em zonas urbanas como rurais, aumentariam. De acordo com relatório do Observatório do Clima divulgado no fim de 2010, com a redução das matas nas margens de rios, estima-se que o país possa perder uma área equivalente a dois milhões de campos de futebol em florestas.

“Se as alterações previstas forem aprovadas, as atividades econômicas e o bem-estar da sociedade serão ameaçados. Teremos grandes prejuízos que, em um curto espaço de tempo, podem afetar a qualidade da água e a fertilidade do solo”, diz a diretora executiva da Fundação Grupo Boticário, Malu Nunes. Além disso, a redução de áreas naturais também faria com que o Brasil elevasse suas emissões de gases do efeito estufa, contribuindo ainda mais para o aquecimento global.

Petição

A petição mencionada no vídeo – cuja assinatura está disponível no site da campanha SOS Florestas – apresenta também um novo texto desde esta segunda-feira (no ano passado, uma petição já havia sido divulgada pela campanha contra a aprovação do relatório de Rebelo em uma Comissão Especial da Câmara).

O novo texto que será enviado aos parlamentares menciona a importância do Código Florestal “na medida em que, ao determinar a manutenção de um mínimo de vegetação natural na paisagem rural, tenta garantir não só a conservação da biodiversidade mas, sobretudo, a continuidade na oferta de serviços ambientais básicos”. Pede que os parlamentares rejeitem as propostas contidas no relatório de Rebelo, em especial a redução de áreas ambientais importantes e a anistia aos desmatadores, e aprovem propostas alternativas que conciliem conservação e produção, partindo da premissa de que não é necessário aumentar o desmatamento para alcançar o desenvolvimento sustentável.
Apoio
WWF do Brasil


Clique aqui  para ler e imprimir a carta aos Deputados completa do SOS Florestas.

U2 e Greenpeace juntos pela preservação das florestas brasileiras

O U2 vai participar de uma campanha, junto a organização não-governamental do Greenpeace



Ingressos esgotados, acampamentos armados na entrada do Morumbi três dias antes das apresentações e uma enorme quantidade de jornalistas em cima dos renomados artistas do U2.

A nova passagem da banda irlandesa ao país, esta é a terceira turnê pelo Brasil ( eles já tocaram em 1998 e 2006), tinha tudo para ser mais uma grande estada dos roqueiros em São Paulo.

Porém, este ano será um pouco diferente. Além dos shows, o U2 vai participar de uma campanha, junto a organização não-governamental do Greenpeace, para proteção das florestas brasileiras.

No dia das apresentações, que serão 9, 10 e 13 de abril, o Greenpeace montará um estande para fornecer informações e conscientizar a população para a proteção das nossas florestas.

U2 e Greenpeace/Foto: Greenpeace.org

Rafael Cruz, responsável pela iniciativa da ONG no assunto, afirmou que a parceria do U2 com a instituição vem de longa data. “A música deles representa boa parte dos princípios que o Greenpeace prega e queremos que essa mensagem – que podemos salvar as florestas – se espalhe entre todos”.

O Greenpeace defende uma política de desmatamento zero no Brasil, além de se manter firme contra as mudanças no Código Florestal do país, como foi discutido aqui no EcoD.

O vídeo abaixo "Seja um Grileiro", do grupo Greenpeace, faz parte da campanha do órgão contra o desmatamento nas florestas brasileiras.

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.