sábado, 19 de fevereiro de 2011

Japão suspendeu “por hora” a caça à baleia

Japão suspendeu “por agora” a caça à baleia

O Japão suspendeu finalmente a caça à baleia no Antárctico, depois de uma intensa pressão por parte do grupo activista Sea Shepherd, que tem perseguido os navios da frota baleeira japonesa, para os impedir de pescar, e dos países latino-americanos que pertencem à Comissão Baleeira Internacional.

À Reuters, um responsável da agência nipónica que tutela o setor de pesca justificou esta suspensão, “por agora»” como uma medida de segurança.

Segundo noticiaram ontem, durante todo o dia, os media, a Sea Shepherd bloqueou a rampa de carregamento de um dos navios, como forma impedir que qualquer cetáceo que seja arpoado possa entrar na embarcação.

A organização adiantou entretanto que os baleeiros japoneses deixaram a zona da Antárctida nos últimos dias, dirigindo-se para a costa meridional sul-americana.

“Se isso for verdade demonstra que as nossas tácticas, as nossas estratégias, foram bem sucedidas”, disse à AFP o capitão Paul Watson, responsável pela organização.

A frota baleeira japonesa é composta por quatro navios, com uma tripulação total de 180 pessoas. O objetivo é caçar até 945 cetáceos durante a época de caça, que acontece durante o Inverno.

Este ano, porém, os navios japoneses não terão caçado “mais de 30 baleias” até agora, de acordo com Paul Watson.

A pesca à baleia foi proibida em 1986, mas o Japão tem contornado esta norma alegando que caça apenas para fins científicos, uma vez que é possível comer este tipo de carne em território nipónico.

Além do Japão, também a Islândia e a Noruega ignoraram esta proibição, que já tem "25 anos" e continuam a pescar estes cetáceos.



Enhanced by Zemanta

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.