terça-feira, 5 de julho de 2011

Novas reservas de terras raras em águas internacionais


Depósitos de terras raras são descobertos no Pacífico
 
Japão encontra recursos em quantidade suficiente para dobrar as reservas mundiais, o que deve evitar uma guerra comercial em escala global que estava ganhando força depois da decisão chinesa de reduzir a exportação dos minerais.
Uma crise por recursos naturais envolvendo diversos países pode ter sido evitada devido ao anúncio da descoberta de novas reservas de terras raras em águas internacionais no Oceano Pacífico por pesquisadores japoneses no periódico Nature Geoscience.

Os depósitos estariam presentes em 78 locais que se estendem do Havaí até o Taiti com o potencial de exploração de até 100 bilhões de toneladas métricas, quase a mesma quantidade das reservas mundiais, avaliadas em 110 bilhões de toneladas métricas.

“Estimamos que apenas uma área de um quilômetro quadrado que encontramos seja capaz de sustentar 20% do consumo mundial por um ano”, afirmou Yasuhiro Kato, da Universidade de Tóquio. 

Os minerais de terras raras são essenciais para a indústria eletrônica, pois são macios, maleáveis e bons condutores. Eles estão presentes em produtos como computadores, laptops, tablets e televisões de tela plana e são considerados estratégicos para países como Japão, Coréia do Sul, China e Estados Unidos.

A nova descoberta poderá evitar uma guerra, ao menos comercial, em escala global. Isto porque em uma ação criticada por governos de diversos países, a China, que responde por 95% da produção mundial, decidiu no dia 20 de junho aumentar suas reservas nacionais e limitar a exportação do recurso.

A alegação chinesa para a decisão foi a de regular os impactos ambientais da exploração das terras raras e garantir o fornecimento para suas próprias indústrias.

“A nova política está de acordo com as práticas aceitas pela Organização Mundial do Comércio (OMC) e estabelece um uso mais sustentável desse recurso”, declarou uma nota do ministério da Indústria e Tecnologia da Informação.

Assim que foi divulgada a decisão chinesa, os preços internacionais dispararam, levando a protestos oficiais do Japão e dos Estados Unidos. Segundo esses países, a China estaria utilizando seu monopólio para favorecer suas empresas.

Ainda será preciso esperar para saber se as novas reservas descobertas irão mesmo evitar que esses países adotem medidas de retaliação contra a China.

Quem está um pouco alheio a isso tudo é o Brasil, que apesar de ter um grande potencial para ser um exportador de terras raras - possui reservas estimadas em 3,5 bilhões de toneladas métricas -, não é ainda um produtor relevante.

O governo brasileiro começou recentemente a estudar a possibilidade de explorar de maneira mais eficiente esses minérios, com o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloísio Mercadante, reconhecendo que a produção está muito baixa.

Em um encontro com empresários em São Paulo no fim de junho, Mercadante afirmou que o governo fará “um grande esforço para mudar essa situação”.

Segundo o ministro, a produção nacional de terras raras pode ajudar o Brasil a atrair fabricantes internacionais de tablets, telas LCD e lâmpadas de LED.

Questões Ambientais

A exploração das terras raras traz diversos impactos negativos para os ecossistemas, principalmente se for realizada sem os devidos cuidados. Para começar, as reservas costumam ser levemente radioativas, resultado da presença de tório e urânio, e podem levar a contaminação do meio ambiente e das pessoas. Além disso, durante a fase de refino, são utilizados ácidos que se não forem descartados da maneira correta causam diversos problemas para o ecossistema.

A Malásia recentemente foi palco de uma decisão histórica envolvendo uma tragédia causada pela exploração de terras raras. Depois de comprovada que a contaminação do solo ao redor da mina Bukit Merah levou a casos de leucemia e defeitos de nascença em uma cidade de 11 mil habitantes, a Mitsubishi, que explorou a mina até 1992, teve que realizar uma limpeza do local ao custo de US$ 100 milhões.

Por toda a China casos semelhantes de contaminação podem ter acontecido sem o conhecimento da comunidade internacional. Mas diversas acusações já foram feitas, como os impactos ambientais na cidade de Batou, que apresenta diversos “lagos de resíduos”, onde ácidos e materiais radioativos não parecem receber a atenção devida das autoridades.

Para extrair os recursos encontrados do fundo do Pacífico será necessário trazer o material até a superfície onde navios especialmente preparados poderão realizar a separação dos minérios utilizando ácidos. Nesse modelo, os pesquisadores japoneses acreditam que em apenas algumas horas será possível separar 90% das terras raras presentes em cada coleta do leito do oceano.

A descoberta de novas reservas de terras raras anunciada pelo Japão pode significar uma maior estabilidade no comércio internacional de minérios que são hoje fundamentais para a economia mundial. Mas é preciso ter cuidado para não significar também uma ameaça para a vida marinha, e das populações que vivem nas paradisíacas ilhas do Pacífico.

As inovações trazidas pelas novas tecnologias muitas vezes nos encantam e ao mesmo tempo mascaram a verdadeira cadeia de exploração dos recursos naturais e passivos ambientais. Por isso, é importante trazer este assunto aos olhos da população, que então pode buscar informações sobre o ciclo de vida dos bens que consome e repensar a verdadeira necessidade deles.





Fonte: Instituto CarbonoBrasil
/Agências Internacionais

Belas imagens e a natureza do Tigre Siberiano

Características dos Tigres

O Tigre-Siberiano é um caçador solitário e noturno, que pode percorrer distâncias de 10 a 20 km numa só noite. O tigre vive em média 20 anos, sendo que o macho vive menos que a fêmea, por estarem sempre em confronto com outros machos por causa das presas. Pesa 300 kg, 1 metro de altura e 3 metros de comprimento (sendo 80 cm de cauda). Na ordem dos carnívoros, o único animal que o ultrapassa em tamanho é o urso.


Originário da Sibéria oriental, há 20 ou 30 mil anos anos, partiu para a conquista do vasto território que hoje ocupa no continente asiático. Corre em uma velocidade de até 80 km/h e pode saltar a uma altura de 5 a 6 metros; contudo, não é capaz de escalar árvores.


Seu sentido mais aguçado é a audição. A vista é tão fraca que não distingue, além de cem passos; o olfato praticamente inexiste. Caça à noite ou ao amanhecer, o resto do tempo é para dormir. Geralmente os tigres não atacam o homem, os que o fazem, são animais velhos ou doentes.

Alimentação

O tigre vive em stepes geladas, florestas úmidas e bosques. Devido à vasta distribuição geográfica, a alimentação do tigre é muito variada. Em geral devora cervos e suídeos, mas quando estes faltam, alimenta-se até de ursos, na Sibéria, e bovinos, na Índia e Indonésia.


O matador

Graças à camuflagem proporcionada pela coloração e pelo desenho de sua pelagem, que confunde a linha do contorno do seu corpo contra a vegetação, o tigre pode aproximar-se de sua presa sem ser percebido. Quando está a 20 m de distância, o tigre se abaixa e depois de caminhar quase se arrastando pelo solo durante um trecho, salta para a frente, tratando de morder o pescoço de sua vítima enquanto a imobiliza pelos ombros ou pelas costas. Somente 5% dos ataques do tigre têm êxito.

O tigre mata, em média, entre 40 e 50 presas durante um ano, o que equivale a uma a cada oito dias. No caso dos tigres com crias, às quais têm de alimentar, o tempo dedicado à caça é maior. De músculos fortes e elásticos, o tigre é capaz de matar um búfalo com uma patada e, aferrando-o com as presas, arrastá-lo por centenas de metros.
Reprodução e gestação

As fêmeas dos tigres atraem seus parceiros emitindo um rugido. O namoro entre eles nem sempre é violento e, às vezes, pode assumir uma forma muito carinhosa.

A gestação dura de 103 a 105 dias, podendo nascer 2 ou 3 filhotes por vez. Apenas a fêmea cuida dos filhotes depois que eles nascem, mas se, por ventura, um macho adulto que acabou de abater sua caça se encontrar com alguns filhotes, mesmo que não sejam seus, ele deixa a cria comer sua caça.
Espécies

Vive na Ásia e a espécie é dividida em duas subespécies principais, oTigre-da-Sibéria, que recebe o nome científico de Panthera tigris altaicae, e o Tigre-de-Bengala, que é classificado como Panthera tigris tigris.

Na foto abaixo, quatro filhotes de tigre descansam no zoológico Nandan Kanan, na cidade indiana de Bhubaneswar. O governo local anunciou a construção de um segundo zôo que receberá 27 tigres e leões africanos que haviam sido transferidos para Andhra Pradesh. A população de tigres indianos diminuiu de 4.300 para 3.500 nos últimos 11 anos. Entre 200 e 300 tigres são mortos por ano na Índia.

Caça


Com seu porte altivo, solto pela floresta, farejando uma presa com suas artimanhas de caçador ou defendendo seu território, o tigre parece uma fera invencível. Mas nos últimos duzentos anos ele foi caçado até ser praticamente eliminado das selvas. Hoje está entre os animais com maior risco de extinção.

Embora possam viver em climas e ambientes variados, os tigres não conseguem conviver com o ser humano. Tantos foram os tigres abatidos pelo homem, que duas subespécies já foram extintas: o Tigre-do-Cáspio e o Tigre-de-Bali. Ao todo restam cerca de cinco mil espécies.

Tigre Branco


O tigre tem o corpo coberto por uma pelagem característica, laranja com faixas escuras. O ventre é mais claro, às vezes branco. Os tigres brancos são mais ou menos albinos, misturam o preto com o branco.
Pré-História


O Tigre-Dente-de-Sabre ou Machairodus era um dos mamíferos mais terríveis do Pleistoceno. Os dentes caninos de seu maxilar superior eram muito grandes e aguçados - até 20 cm de comprimento - e com forma de sabre. Isso lhe dava coragem de atacar e matar os grandes mamíferos herbívoros da época, como o mamute e o mastodonte. Foram encontrados fósseis dele no Brasil, devido a migração desses animais.

Classificação científica


  • Reino - Animal
  • Sub-Reino - Metazoários
  • Filo - Cordados
  • Classe - Mamíferos
  • Ordem - Carnívoros.
  • Família - Felídeos
  • Gênero - Panthera
  • Espécie - Tigris

Wild Life - Imagens incríveis: Tigre Siberiano resgatado de armadilha de volta à liberdade


Está livre, tigre! Momento incrível quando um animal enorme retorna à vida selvagem após ser resgatado de uma cruel armadilha de caçador

O animal ensaguentado , que é criminosamente caçado em razão de seus ossos e pele comercializados no valor de até 10.000 dólares no mercado negro, foi finalmente devolvido para a "segurança" nas planícies geladas do leste da Rússia, após tratamento dos ferimentos em sua pele

Com nove anos de idade o Tigre de Amur,  foi encontrado por estudantes em uma floresta remota da Rússia, quando ouviram-no rugindo de dor estando preso em uma armadilha de cabos de aço.

A fera, batizado "Victor", depois de resgatado, foi tratado por especialistas para recuperar-se do trauma e dos ferimentos durante uma semana,  em virtude das circunstâncias  e das várias vezes que tentou se soltar da estúpida armadilha.

Este é um momento incrível, um tigre irritado e temível rugindo numa oferta para a liberdade - esperamos que para bem longe de inescrupulosos  caçadores.

Roaring ir: Victor solta um rugido como ele é finalmente lançado de volta na natureza

O momento dramático em que ele explodiu de sua jaula foi registrado pela câmera de John Goodrich, para a BBC Wildlife Magazine e mostra o animal poderoso saltando através da neve para a liberdade deixando a equipe de conservacionistas para trás. John Goodrich, 45, que passou 16 anos trabalhando com os tigres na Rússia, disse: "Escolhemos um lugar com espaço aberto suficiente para que pudéssemos sentar em nossos veículos e vermos como Victor abandonava a sua gaiola rumo a liberdade.

"Tivemos câmeras prontas quando meu colega levantou a porta da jaula".

'Victor olhou para nós e urrou, fazendo uma grande nuvem de vapor no ar frio. Mas ele ficou onde estava.
"Então, emitindo um outro estrondo, ele se virou para nós novamente e explodiu fora da gaiola. Ele bateu contra a neve e, com um grande salto, desapareceu na floresta.


"O poder e a velocidade com que ele saltou do caminhão e desapareceu na floresta foi muito impressionante, poderia ter sido terrível se não estivéssemos sentados na segurança do meu veículo."


Quando Victor foi encontrado, os alunos da kindhearted, percorreram 50 milhas até o telefone mais próximo para informar a situação, alertando o Departamento de Inspeção Tiger do ocorrido.

A organização contatou então a Wildlife Conservation Society, que enviou um especialista para anestesiar o tigre ferido e transportá-lo para segurança. Quando examinado,   a junta veterinária, constatou que encontraram-o "anormalmente gordo e saudável", pesando 385 kg, e incríveis 3 metros de comprimento.

Mantiveram-no sob observação contínua por alguns dias, para ter certeza  que não houveram lesões internas, antes de colocarem nele uma coleira de rádio e dirigir cerca de oito horas de volta para ao deserto gelado.

John disse: "Vê-lo explodir de sua gaiola de aço de volta à liberdade foi incrivelmente satisfatório, não havia nenhuma dúvida em nossas mentes que tínhamos feito a diferença.

"Sua beleza e poder, quando ele saltou da jaula para dentro da floresta foi impressionante e algo que eu nunca poderei esquecer. 
  


"Esta história é imensamente encorajadora.

«Para um ou dois caçadores furtivos que prepararam tudo para pegar um tigre, haviam várias pessoas dedicadas dispostas, prontas, e capazes à libertar o tigre dos cabos de aço, contrariando todas as probabilidades."

Para mais informações sobre a conservação do tigre, ver http://www.wcs.org/tigers/









Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.