sábado, 20 de agosto de 2011

Máquinas instaladas nos supermercados da Alemanha recolhem garrafas para reutilização



Sistema recompensa consumidor que devolve embalagem para a indústria 
e possibilita às famílias complementação da renda familiar

Quando as pessoas compram qualquer produto, em qualquer parte do mundo, elas também compram, consomem e são responsáveis por suas embalagens. O mesmo vale para os pontos de venda e para quem fabrica. Isto porque as embalagens, muitas vezes,são tão ou mais poluentes que o próprio produto ou ainda vão permanecer no meio ambiente por muito mais tempo que a maioria dos produtos por elas embalados, poluindo o meio ambiente e prejudicando todas as espécies, inclusive os seres humanos. Por isto são tão importantes sistemas, políticas e práticas de incentivo à coleta e à reciclagem.

Em países mais avançados, como a Suécia, sistemas automatizados de depósito e recolhimento de embalagens recicláveis são utilizados desde meados de 1885, garantindo a reutilização de 85% das embalagens. Na Alemanha, os supermercados recebem embalagens usadas e restituem o valor pago por elas ao consumidor. Isto é feito por meio de máquinas do tamanho de uma geladeira, que recebem das mãos do próprio consumidor, identificam e separam garrafas de vidro e plástico em troca de cupons de desconto.

As máquinas são amplamente utilizadas pela população desde a década de 90. Lá, o consumidor, na hora da compra, paga embutido no preço da bebida uma espécie de caução pelo uso de embalagens que possuem um selo no rótulo com a frase "Pfand zurück" (que significa algo como depósito retornável em alemão).

Consumidor recebe de volta valor pago pela garrafa

Uma garrafa grande de suco, por exemplo, vale 25 centavos. Já as pequenas, em torno de 15 centavos. Após as garrafas serem colocadas e identificadas pela máquina, o consumidor aperta um botão verde e em alguns segundos um tíquete sai da máquina com o valor a ser descontado do valor total de compras no mesmo supermercado. As garrafas arrecadas voltam para a indústria e são reutilizadas.

Políticas similares existem também na Noruega, Dinamarca, Holanda, Estônia, Croácia, Holanda, Suíca e em alguns estados dos Estados Unidos, apoiadas por leis de depósito obrigatório que facilitam, estimulam e recompensam que cada parte se responsabilize pelas embalagens utilizadas. Aqui no Brasil, apenas algumas cidades e cidadãos separam fazem coleta seletiva e produtos usados ou suas embalagens dificilmente voltam para as indústrias.

Máquinas já existem por aqui
Recentemente, uma empresa de São Paulo lançou no Brasil para venda ou locação as ‘reverse vending machines', máquinas de venda reversa que emitem os cupons de desconto.

Segundo o brasileiro Augusto Rosario, que mora na Alemanha, a prática também permite a complementação da renda familiar. Leia um trecho de uma publicação dele na revista online O Tagarela.

"...Já vi pessoas andando nas estações de metrô, com maletas de rodinhas recolhendo garrafas, provavelmente para complementar a renda também. Certamente esse bônus estimula as pessoas a guardarem as garrafas e levarem pra máquina. É justo, consciente e cidadão. Então me lembro de quantas vezes insisti com amigos e familiares que sequer separavam o lixo orgânico do inorgânico no Brasil. Aqui, se os moradores do apartamento não o fazem, estão sujeitos à multa. Quando se mexe no bolso, para benefício ou malefício do cidadão, a coisa parece funcionar"

portalodm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.