sexta-feira, 30 de março de 2012

Governo inaugura circuito de turismo de aventura em Xapuri, no Acre



  • Além de trilhas para caminhada e cicloturismo, o circuito vai oferecer tirolesa, arvorismo e rapel 



O Seringal Cachoeira vai ganhar um novo atrativo. No sábado, 31, o governo do Estado, através da Secretaria de Turismo e Lazer (Setul), vai inaugurar, a partir das 10 horas, na pousada ecológica que funciona no local, o Circuito de Aventura Chico Mendes. Esse empreendimento do governo estadual acreano no município de Xapuri, a 240 quilômetros de Rio Branco, custou R$ 200 mil e visa consolidar a rota turística denominada Caminhos de Chico Mendes.

Xapuri fica próxima de uma fronteira trinacional com forte desejo de integração. É a conhecida MAP (Madre de Dios-Acre-Pando). Madre de Dios é uma província peruana, o Pando, uma província boliviana. O turista pode beber o café da manhã no Seringal Cachoeira, almoçar na Bolívia e jantar no Peru. 


Para a administradora da pousada, Rita Ramos, a presença de estudantes, cientistas e turistas de terça-feira a domingo “enriquece” o lugar. “Xapuri e o Acre se tornam conhecidos não apenas pelo passado de resistência, mas pelo carinho que proporcionam às pessoas, sejam elas brasileiras ou estrangeiras”, ela comenta. 

A novo circuito foi montado em bosque primário, exemplo de manejo florestal sustentável, e tem 623 metros de extensão e 25 metros de altura. O visitante poderá desfrutar de atividades como arvorismo acrobático e contemplativo, rapel, ascensão em árvores, tirolesa, cicloturismo e caminhada.


Samaúma gigantesca igual a esta mostra ao visitante a razão de Chico Mendes ter 
promovido aqueles "empates" entre o final da década de 1970 e o começo dos anos 1980 


Chalés confortáveis, restaurante com comida caseira e paisagens típicas da região são atrações da pousada (Onides Bonaccorsi Queiroz)

As atividades que integram o circuito foram montadas próximas à sede da Pousada Ecológica Seringal Cachoeira. Erguida em 2007 pelo governo do Estado, o local oferece um cenário repleto de belezas naturais e uma infraestrutura composta por três chalés, dois belichários, restaurante, salão de eventos, estacionamento, piscina, lago com passarela, decks de contemplação e trilhas ecológicas.



“Ao proporcionar essas atividade de lazer e bem estar, estamos criando também uma oportunidade de destacar e aumentar o fluxo de turismo no nosso Estado”, disse a secretária de Turismo e Lazer, Ilmara Liama. Ela destacou ainda o papel que o empreendimento terá na melhoria da economia da comunidade local. “Buscamos sempre trabalhar o manejo florestal sustentável, afinal de contas o Seringal Cachoeira foi palco dos empates feitos por Chico Mendes e os seringueiros para barrar a entrada de fazendeiros no lugar na década de 70, em virtude de preservação da floresta. Então não há nada mais justo que dar continuidade a esta importante luta”, disse Ilmara

No meio da floresta


Por entre as trilhas da pousada é possível encontrar uma pequena cachoeira, seringueiras e samaúmas com mais de 500 anos de idade, plantas medicinais, barreiros onde comem os animais silvestres. Para abraçar a samaúma, considerada como a rainha da floresta, são necessárias 26 pessoas. Com os mateiros que acompanham os turistas nas trilhas, é possível ouvir "causos da mata", como a do "Caboquinho" que assusta quem caça além da conta ou corta árvores. Quem vai ao Seringal Cachoeira tem a certeza de que toda a luta de Chico Mendes pela preservação do local valeu a pena.

Vivem hoje cerca 90 famílias no seringal. Atualmente elas sobrevivem da extração manejada de madeira, da castanha, da venda do látex para a indústria de preservativos Natex, em Xapuri. São cerca de três mil litros de látex coletados por semana. Os moradores são fornecedores preferenciais dos produtos consumidos na pousada, como frutas, doces,carne de aves domésticas e muito mais. Parte da receita financeira será destinada à associação de moradores.


Os visitantes irão conhecer também como se procede a extração de látex e a coleta de castanha, por exemplo. Terão acesso a plantas de poder medicinal, as mesmas usadas pelos povos da floresta. Na mata completamente intocada, facilmente serão observados animais e aves em seu habitat. O circuito de aventura e a pousada ecológica estão em sinergia constante com a comunidade existente, proporcionando uma oportunidade única ao visitante de interagir com uma proposta de turismo que agrega lazer, vivência e responsabilidade socioambiental.


Bom lugar para o descanso e ideal para acomodar pessoas interessadas em fazer ecoturismo, aprendendo a conhecer melhor a floresta /ECOVIAGEM
Bom lugar para o descanso e ideal para acomodar 
pessoas interessadas em fazer ecoturismo, 
aprendendo a conhecer melhor a floresta 



Chico Mendes

Sábado marca 190 anos do nascimento de Fritz Müller



Nascido em uma pequena aldeia da Alemanha em 1822, aos 22 anos o jovem Johann Friedrich Theodor Müller obteve o título de Doutor em Filosofia pela Universidade de Berlim. Em 1849 concluiu o curso de Medicina na Universidade de Greifswald, mas não colou grau, por se negar a proferir as palavras cristãs contidas no juramento.Em 1852 emigrou com familiares para a recém-fundada Colônia de Blumenau, no Vale do Itajaí, e em 1856 partiu para Desterro (atual Florianópolis), naturalizando-se brasileiro para assumir cargo público de professor no Liceu Provincial (antigo Colégio Jesuíta, atualmente representado pelo Colégio Catarinense).

É nesse momento que inicia o período mais produtivo da obra científica de Fritz Müller. Em Desterro o naturalista tem seu reconhecimento internacional entre a comunidade científica. Ele mantém correspondência com eminências científicas da época, como Max Schultze, Herman von Ihering, August Weismann, Louis Agassiz, Ernst Haeckel e em especial com Charles Darwin (cuja extensa e contínua correspondência se estende por 17 anos, até a morte de Darwin). A história de Fritz Müller completa neste sábado, dia 31 de março, 190 anos, desde o nascimento na Alemanha.

“Este excepcional observador da natureza, que viveu em Santa Catarina por 45 anos, foi sem dúvida o mais importante naturalista do Brasil do século XIX. Deixou um legado naturalístico imenso que descreve a flora e fauna da região sul do Brasil. Identificou e descreveu com notável perfeição um número imenso de espécies animais (principalmente invertebrados) e de plantas do litoral catarinense e da Mata Atlantica, sempre enriquecendo suas descrições com magníficas ilustrações de incrível detalhamento”, descreve o site Fritz Müller, o príncipe dos observadores, que está sendo construído por um grupo de professores da UFSC envolvido com a divulgação da obra do naturalista.

O site organiza informações sobre a história, a vida, a obra, as principais homenagens póstumas e os escritos de Fritz Müller, cientista mundialmente conhecido pela concepção do fenômeno mimetismo mulleriano, estudado em todo o mundo.

Apoio a Darwin

Fritz Müller foi pioneiro ao publicar, em 1864, o primeiro livro no mundo em apoio à teoria evolutiva de Darwin, com provas factuais obtidas em estudos sobre crustáceos, realizados em Florianópolis. Este livro, que atuou decisivamente na consolidação da teoria da evolução das espécies proposta por Darwin, tornou-o mundialmente famoso e o levou a receber, em vida, duas vezes o título de Doutor Honoris Causa, emitido por universidades alemãs.

Diferentes datas têm sido aproveitadas para rememorar a vida e a trajetória do naturalista. Em 2009, ano do bicentenário do nascimento de Charles Darwin e dos 150 anos da publicação do seu revolucionário livro Origem das Espécies, a Universidade Federal de Santa Catarina reconheceu o valor da obra de Fritz Müller. Concedeu-lhe o título de Doutor Honoris Causa post-mortem, recebido pelo seu descendente Alberto Lindner, professor do Departamento de Ecologia e Zoologia.

Também em 2009 a Editora da UFSC lançou uma nova tradução do livro Para Darwin (Für Darwin, 1864), escrito por Fritz Müller. Elaborada por Luiz Roberto Fontes, médico legista e biólogo, e por Stefano Hagen, médico veterinário, biólogo e professor, a nova tradução se distingue das outras duas que a antecederam por usar como base a primeira edição do livro, em alemão. A publicação foi viabilizada com apoio financeiro da UFSC, Fapesc e Ministério da Ciência e Tecnologia.

De acordo com os autores, a tradução a partir da edição original recupera o estilo da escrita de Fritz Müller, além de alguns conceitos próprios do autor, que foram alterados na segunda edição.

“A tradução resgata para a memória da ciência brasileira o naturalista Fritz Müller, bastante esquecido no cenário científico nacional e mundial, mediante a publicação traduzida de seu único e importante livro, acrescida de resenhas de época, bem como de necrológios da época de sua morte”, explica Luiz Roberto Fontes. Segundo ele, a tradução integral do necrológio feito por Haeckel revela facetas do perfil psíquico desse controverso zoólogo alemão, por muitos considerado um falsário da ciência.

“Homenagear Fritz Muller no ano de 2012, quando completaria 190 anos de idade, representa resgatar para a memória nacional o nosso maior naturalista novecentista, brasileiro por opção e com grandes feitos para a história da ciência brasileira e mundial. Representa também homenagear o Estado de Santa Catarina, que em suas publicações tornou-se mundialmente conhecido, principalmente as localidades de Blumenau, Itajai e Desterro”, destaca Luiz Roberto Fontes.



Museu Fritz Müller
Blumenau, SC

Jean Oecksler

Visitar este museu é ter acesso à Mata Atlântica 

em sua beleza e complexidade.


Montado na antiga casa do cientista, às margens do Rio Itajaí Açu, o museu é um verdadeiro arsenal entomológico e nos mostra, como desenvolveu-se a pesquisa científica nos últimos 100 anos.




O Museu Fritz Müller, que existe desde 1936, há onze anos pertence à Faema, órgão municipal de meio-ambiente, e hoje mantém uma importante atividade de educação ambiental, sendo visitado principalmente por estudantes e turistas.

...das importantes pesquisas darwinianas de Fritz Müller...

Visitar este museu não é somente uma viagem à história e aos hábitos de um cientista do século XIX: é também conhecer a fundo, cientificamente, a fauna e a flora da Mata Atlântica que encobre Blumenau e se deixar encantar belas belezas naturais desde reduto de floresta tropical.

...e de sua própria vida.

O Museu fica localizado e
m Blumenau, Santa Catarina, há alguns quilômetros do centro da cidade, mas seu acesso é facilitado, pois a Rua Itajaí e uma das principais vias para se chegar a Blumenau pelo litoral.

Localização: R. Itajaí, 2.195 – Vorstadt

Por que ir: 

Pelo empenho que este cientista isolado empreendeu ao pesquisar, analisar e escrever sobre suas descobertas. Fritz Müller é mundialmente conhecido - principalmente pela comunidade científica - pelo auxílio que deu a Darwin em algumas de suas principais descobertas. Sem falar de Müller, ainda é um espaço importantíssimo para a educação ambiental de crianças e jovens.

Funcionamento:

Diariamente das 8h às 11h:30 e das 13h:30 às 17h:30.

Entrada Franca: Turistas ecológicos, turistas simplesmente, estudantes, curiosos, pesquisadores, cientistas e admiradores da obra do blumenauense.

Contato telefone: 47 3326-6890

WWF - 102 cidades brasileiras vão apagar suas luzes!




E a movimentação em torno da Hora do Planeta prossegue: na manhã desta quinta-feira, 29, a comissão organizadora do evento confirmou a participação de 102 cidades brasileiras na mobilização! Além disso, foram confirmados o apagar das luzes em mais de 448 monumentos, do Norte ao Sul do País – bem mais que o número de monumentos participantes do ano passado, que foi de 380 ícones. 

De acordo com o comitê organizador, são 23 capitais mobilizadas para a Hora do Planeta, mais um número superior a 2011, que fechou em vinte capitais participantes. Das cem cidades brasileiras, 20 estão participando pela primeira vez – incluindo duas capitais nortistas, Porto Velho (RO) e Macapá (AP). Outras grandes cidades que confirmaram sua participação nos últimos dias foram Recife (PE), Belém (PA), São Paulo (SP), Brasília (DF) e Foz do Iguaçu (PR).

Grandes empresas brasileiras também confirmaram sua participação: até agora, são 259 grupos empresariais que já acertaram ações e iniciativas relativas à Hora do Planeta. Entre elas, estão a McDonald’s, Grupo Mafre, Submarino (o site de compras), Coca-Cola, Rede Meliá, Rede de Hoteis Sheraton, a empresa de telefonia Vivo, a farmacêutica Boehringer – além, obviamente, das duas empresas patrocinadoras do evento, a TIM e o Pão de Açúcar. 

Entre os grandes monumentos confirmados que irão apagar suas luzes no próximo sábado estão o Mercado Municipal, em São Paulo (SP); o Cristo Redentor e os Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro (RJ); o Farol da Barra e o Elevador Lacerda, em Salvador (BA); o Monumento a Bento Gonçalves, em Porto Alegre (RS); e o Mercado Central de Porto Velho (RO) e o Horto Florestal de Rio Branco (AC).

Veja a lista completa das cidades que aderiram à Hora do Planeta aqui. Caso sua cidade não esteja listada e você queira cadastrá-la, basta seguir esses passos.


 / ©: WWF-Brasil


O QUE É?

 A Hora do Planeta é um ato simbólico, promovido no mundo todo pela Rede WWF, no qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global, apagando as suas luzes durante sessenta minutos.

QUANDO?

Sábado, dia 31 de março, das 20h30 às 21h30. Apague as luzes e participe da Hora do Planeta 2012.

ONDE?

No mundo todo e na sua cidade, empresa, casa... Em 2011, mais de um bilhão de pessoas em todo mundo apagaram as luzes durante a Hora do Planeta.




Hora do Planeta 





Quero participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.