segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Inpa e Ampa realizam primeira etapa do Programa de Reintrodução de Peixes-bois da Amazônia




O Programa faz parte do “Projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia: Conservação e Pesquisa”, da Ampa, com o objetivo de restabelecer as populações naturais da espécie endêmica da região. A primeira etapa aconteceu nesta quinta-feira (27)

Três exemplares de peixes-bois da Amazônia (Trichechus inunguis) serão levados para um ambiente de semi-cativeiro no interior do Estado do Amazonas

Uma caravana com o slogan “Devolvendo Vidas aos Nossos Rios” sairá do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) na madrugada de quinta-feira (27), levando três exemplares de peixes-bois da Amazônia (Trichechus inunguis) para um ambiente de semi-cativeiro no interior do Estado do Amazonas: o Lago Belarmino no município de Manacapuru, 75 km distante de Manaus. 


Paricatuba, Iranduba e Matupá foram os contemplados para participar dessa primeira etapa. “Oito animais foram avaliados sob critérios de idade, peso, tamanho, baixa domesticação e estado clínico. Desses, escolhemos dois machos e uma fêmea que foram considerados aptos para a soltura”, explica o pesquisador da Ampa, Diogo Souza.

Os animais receberam um número e o nome do Instituto, feitos à base de nitrogênio líquido, uma espécie de marcação gelada, para facilitar a identificação visual durante as atividades de monitoramento e manejo no semi-cativeiro.

“A etapa de semi-cativeiro no Protocolo de Reintrodução favorece a readaptação gradual dos peixes-bois à natureza, permitindo aclimatar os indivíduos às condições naturais do ambiente, como temperatura, turbidez, correnteza da água, variação sazonal do nível dos rios, alimento natural e minimizar o comportamento estereotipado de natação nos tanques do LMA/Inpa onde foram criados”, ressalta Souza.

Educação Ambiental


Pesquisadores da Associação Amigos do Peixe-boi (Ampa) e do Laboratório de Mamíferos Aquáticos (LMA), ambos do Inpa, iniciaram as atividades de Educação Ambiental na região, próximo à área do semi-cativeiro, em agosto deste ano. A proposta é, durante o período em que os animais ficarão no lago, continuar as ações de conscientização ambiental, para tentar reduzir o número de caça de peixe-boi nessa área. A idéia, segundo pesquisadores, é fazer desse local uma “comunidade amiga do Peixe-boi”.

“Nossa sociedade tem a obrigação de preservar o peixe-boi da Amazônia e garantir o futuro dessa maravilhosa espécie para que as próximas gerações desfrutem de um meio ambiente saudável e equilibrado, respeitando todas as formas de vida. Manacapuru tem um grande potencial para soltura, pois tem muito alimento disponível já que os rios são de águas brancas, mas infelizmente a caça predatória ainda é muito freqüente nessa região. Com realização da educação ambiental esperamos minimizar a predação dos peixes-bois", relata Souza.

Durante a cerimônia de soltura,  realizada nesta quinta-feira (27), alunos da Escola Municipal Novo Horizonte, da Comunidade Palestina, do município de Manacapuru, tiverão a oportunidade de ter contato com os peixes-bois que serão futuramente reintroduzidos. Na ocasião, eles receberão a placa de “Escola Amiga do Peixe-boi”, que será fixada na fachada da instituição de ensino.

Programa de Reintrodução


O LMA do Inpa, desde 1974, realiza atividades com peixe-boi da Amazônia, envolvendo estudos sobre biologia, ecologia, fisiologia e manejo da espécie. O Instituto possui um centro de resgate e reabilitação que se destina a recuperação dos animais e estudos em cativeiros.

O sucesso do programa de reabilitação no Inpa gerou um excedente de indivíduos prontos para retornarem à natureza, tornando viável a reintrodução no ambiente natural de peixes-bois cativos visando à manutenção das populações naturais da espécie.

As atividades de monitoramento por rádio-telemetria dos peixes-bois reintroduzidos tiveram início em março de 2008. Desde então, quatro exemplares voltaram para a natureza. O monitoramento pós-soltura, segundo pesquisadores da Ampa, é fundamental para verificar a adaptação dos animais às novas condições de vida e a utilização do habitat, bem como avaliar o sucesso das reintroduções. A reintrodução desses animais é importante ferramenta para a educação ambiental de várias comunidades.

Associação Amigos do Peixe-boi – Ampa


A Ampa é uma organização não governamental que surgiu da necessidade de promover atividades de proteção, conservação, pesquisa, manejo do peixe-boi da Amazônia e de outros mamíferos aquáticos existentes na Amazônia: lontra neotropical, ariranha, tucuxi e boto-vermelho. A Associação é conveniada ao LMA/Inpa, em Manaus (AM), e é patrocinada pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Ambiental.

Essa atividade tem o apoio do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Prefeitura de Manacapuru, do Batalhão Ambiental do Amazonas e da Fazenda Seringal Vinte e Cinco de Dezembro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.