sábado, 18 de fevereiro de 2012

Por que o turismo ecológico deu certo na região de Bonito?

 

Clayton Castilho Gomes, diretor de Turismo da Prefeitura de Bonito, tenta esclarecer o que foi feito, com tantas possibilidades para dar errado – e os exemplos de massificação turística abundam na costa brasileira,  quais foram os elementos chaves que fizeram de Bonito a capital nacional do turismo ecológico.

“Alguns anos atrás depois de uma reportagem que o Globo Repórter realizou sobre Bonito, nós sabíamos que o lugar iria encher de gente. Foi preciso muita conversa entre os fazendeiros, as agências de turismo, os hotéis e a prefeitura para coordenar as atividades”, afirma Clayton. “Todos chegaram à conclusão que o mais importante era trabalhar em conjunto, sem deixar espaço para a ilegalidade. E assim foi criado um sistema de voucher único”, diz.


A Gruta do Lago Azul é o cartão postal de Bonito. Só entra no imenso buraco para descobrir o lago quem tiver o voucher único. Apenas 305 visitantes diários podem ter esse privilégio.

Uma das primeiras preocupações foi a sustentabilidade. Como fazer para que os visitantes pudessem conhecer lugares maravilhosos e, ao mesmo tempo, impedir que um número acima da capacidade detonasse esse paraíso? Para resolver o dilema, cada passeio – são, ao todo, 38 – passou por um estudo de impacto ambiental e um número máximo de visitantes diários foi estipulado.


Todas as atividades na região de Bonito (que compreende o município vizinho de Jardim, MS) encontram-se dentro de fazendas de gado, propriedades privadas. Se cada dono de fazenda resolvesse receber visitantes por sua própria conta, o processo iria virar uma grande bagunça. Foi preciso também criar um esquema de reservas para evitar que o visitante, depois de percorrer 20 ou 30 km de chão, chegasse ao destino e tivesse a má notícia de que não haveria mais espaço naquele dia.

Clayton explica que as reservas são centralizadas pelas agências de turismo. Graças a uma comunicação constante com as fazendas, todas as operadoras sabem quais são os horários disponíveis para os passeios. Uma vez escolhida a atividade, o voucher é emitido em cinco vias, três ficam na agência e duas são para o guia e para o passeio. “O voucher é tão respeitado no município que virou moeda corrente. Vale dinheiro vivo”, diz Clayton.


É a água pura e cristalina que deu fama a Bonito. Em uma das nascentes do rio Sucuri, na Fazenda Sucuri, água e natureza encantam os olhos dos visitantes. 

Mikael, antropólogo especialista em ecoturismo, pergunta sobre a estratégia conservacionista do município. “Conseguimos nossa boa reputação graças às águas cristalinas. Precisamos mantê-las sem impacto. Nosso maior foco é zelar pelas matas ciliares, aquelas que protegem os barrancos dos rios”, afirma o Diretor de Turismo. “Nosso ganha-pão é a pureza da água.”

O número de visitantes pode até crescer, mas a prioridade é manter a região em seu estado prístino. Um belo desafio!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.