quarta-feira, 6 de julho de 2011

Exposição resgata a história de um farol


foto

A exposição Iluminando Memórias, que conta as transformações ocorridas em torno do Farol Garcia D’Ávila e sua relação com o Projeto Tamar. Foi neste lugar que se formou a base de pesquisa, depois o centro de visitantes, até se constituir o atual Museu a Céu Aberto da Tartaruga Marinha. A edificação testemunhou a construção do primeiro cercado de incubação de ninhos e dos primeiros tanques para observação, recuperação dos animais, educação ambiental e sensibilização pública.
A exposição integra as atividades da 9a Semana Nacional de Museus, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), que este ano possui o tema Museu e Memória. Reúne informações sobre o funcionamento técnico da lanterna
 que emite sinais luminosos aos navegantes, a origem e importância do farol para economia da Praia do Forte, aspectos geográficos, fatos pitorescos na interação com a comunidade, além de sua relação com as tartarugas marinhas. Como o pouco espaço no alto da torre dificulta a visitação, uma câmera instalada na cúpula transmitirá imagens da paisagem em tempo real. Uma lanterna similar a original estará em exposição, assim como os objetos que eram utilizados para abastecê-la quando não era movida a energia elétrica, como atualmente.
As fontes que serviram de base para a exposição foram extraídas do relatório da Marinha do Brasil, que periodicamente inspeciona a estrutura e o funcionamento do Farol. Grande parte das informações foram complementadas por José Nunes Pereira, conhecido como “Seu Cajueiro”, que por 38 anos exerceu a profissão de faroleiro, sendo o último dos cinco que cuidaram do Farol Garcia D’Ávila.
Com alcance luminoso de 16 milhas náuticas (cerca de 28 quilômetros), o farol foi originalmente construído em ferro fundido. Em 1956, teve sua estrutura revestida de cimento. Em 1971, mudou de posição em função da ação do mar, e teve os 25 metros de altura reconstruídos em alvenaria e empastilhamento. A área de 10 mil metros quadrados que abriga o Projeto Tamar em volta do farol foi cedida pela marinha, no início dos anos 80.




Farol Garcia D’Ávila aberto ao público pela primeira vez

foto
A inauguração de duas exposições permanentes, marcaram a abertura inédita do farol Garcia D’Ávila, na Praia do Forte/BA, para visitação. O Tamar e a Marinha do Brasil apresentam as mostras Iluminando Memórias, que conta as transformações ocorridas em torno do farol e sua relação com o Projeto; e Luzes da Amazônia Azul, inaugurada em evento comemorativo pelos 150 anos do farol de Abrolhos. As duas exposições, que estão no Centro de Visitantes da Praia do Forte, têm o propósito de resgatar a história dos faróis e destacar a importância de sua preservação para o país e para o meio ambiente.

A cerimônia de abertura teve a presença de muitos amigos do Tamar, como: o Presidente do Superior Tribunal Militar, Almirante-de-Esquadra Álvaro Luiz Pinto; o Comandante do 2° Distrito Naval, Vice-Almirante Carlos Autran de Oliveira Amaral; o Secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Colbert Martins; Capitão de Fragata Andre Moraes Ferreira, Encarregado pelo Serviço de Sinalização Náutica do Leste -SSN2; e o último faroleiro da unidade, José Nunes Pereira, conhecido como Seu Cajueiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.