domingo, 14 de abril de 2013

Um décimo-primeiro mandamento para a humanidade




Para lembrar do “Dia Nacional da Conservação do Solo”, comemorado em 15 de abril, segue texto traduzido pelo pesquisador da Epagri/Cepaf/Chapecó, Leandro do Prado Wildner, do livro “A Conquista da Terra através de sete mil anos”, de autoria de Walter C. Lowdermilk, ex-assistente chefe do Serviço de Conservação do Solo do U.S. Department of Agriculture – USDA, dos Estados Unidos da América do Norte.

“UM DÉCIMO-PRIMEIRO MANDAMENTO PARA A HUMANIDADE
W. C. Lowdermilk, 1939

Durante uma visita à Palestina, em 1939, fiz uma reflexão sobre o uso da terra através dos tempos:
- “Será que Moisés ao entregar os DEZ MANDAMENTOS aos israelitas que estabeleceu o pacto entre o CRIADOR e os homens e os homens entre si, pensou no que se tornaria a TERRA PROMETIDA após três mil anos?]

- “Pensou no que se transformariam centenas de milhões de hectares de terras férteis como àquelas existentes na China, na Coréia, Norte da África, Oriente Próximo e na nossa própria querida terra, a AMÉRICA?”

Se Moisés tivesse tido uma visão do que a “agricultura suicida” faria na TERRA SANTA ele, certamente, teria se inspirado a entregar um DÉCIMO-PRIMEIRO MANDAMENTO para estabelecer a relação do HOMEM com a TERRA e assim completar a tripla responsabilidade do homem: a primeira, para com o seu CRIADOR; a segunda, para com os seus SEMELHANTES; e, finalmente, a terceira, para com a sua SANTA TERRA.

Quando convidado para proferir uma palestra sobre conservação do solo em Jerusalém, em junho de 1939, apresentei pela primeira vez em público o que passou a ser conhecido como “O DÉCIMO-PRIMEIRO MANDAMENTO”.

“A conquista da Terra através de 7.000 anos” é um relato pessoal de Lowdermilk, a partir de um estudo realizado nos anos 1938 e 1939. Ele estudou o registro da agricultura em países onde a terra tinha sido cultivada há centenas, talvez milhares, de anos. Sua missão imediata era descobrir se a experiência das civilizações mais antigas poderiam ajudar a resolver o grave problema da erosão do solo e uso da terra nos Estados Unidos nos anos 30. Ele descobriu que a erosão do solo, o desmatamento, o pastoreio excessivo, a negligência e os conflitos entre agricultores e pecuaristas ajudaram a derrubar impérios e a promover o desaparecimento de civilizações inteiras. Ao mesmo tempo, ele aprendeu que a administração cuidadosa dos recursos da terra através do terraceamento, da rotação de culturas e outras tantas medidas para a conservação do solo, permitiu que outras sociedades continuassem a se desenvolver durante séculos.

O Serviço de Conservação dos Recursos Naturais dos Estados Unidos tem reeditado este boletim, como originalmente escrito por Lowdermilk, com frequência, para atender a demanda contínua de professores, religiosos, escritores, professores universitários, grupos ambientalistas e organizações de serviços.

“Esta mensagem, apesar de escrita no início do século passado, continua sendo mais do que atual, constituindo-se em excelente fonte para reflexões a respeito da situação do uso e da degradação do solo, tanto nas áreas agrícolas como nas áreas urbanas”, afirmou Wildner.


Mais informações: Engenheiro agrônomo Leandro do Prado Wildner/Epagri/Cepaf/ Chapecó, no telefone: (49) 2049 – 7510, e-mail lpwild@epagri.sc.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.