terça-feira, 21 de agosto de 2012

As praças nevadas no inverno de São Paulo




Muitas praças da cidade de São Paulo estão com os gramados cobertos de branco nesse inverno. Mas não se trata de neve, o fenômeno nesse caso é bem tropical e deve-se a uma árvore típica da Mata Atlântica, a paineira-rosa (Chorisia speciosa), que libera dos seus frutos verdes inúmeros flocos de plumas que lembram o algodão, conhecidos popularmente como paina.

Dentro dessas plumas estão várias pequenas sementes escuras que utilizam esse “algodão” como transporte áereo no vento para cair em lugares propícios a germinação e ao surgimento de uma nova árvore. A técnica funciona, e é fácil achar paina a centenas de metros ou até quilômetros de distância da árvore – mãe.

Quem aproveita muito essa época, e se farta com a paina e sementes são os periquitos e papagaios, que abrem o fruto com o bico e o deixam oco, consumindo todo o conteúdo. No passado também eram comuns os travesseiros e colchões recheados de paina, preferidos por não darem “bichos” e serem impermeáveis à água.

Há alguns anos, uma doença matou grande parte das paineiras da metrópole paulistana, talvez um fungo, e hoje elas se tornaram mais raras, mas novas mudas estão sendo plantadas, como nas marginais do Rio Pinheiros.

A paineira sem folhas e com as painas 
penduradas em seus altos galhos.


Os flocos de paina ainda perto do fruto.


 




Texto: Ricardo Cardim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.