sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Confira os 10 países mais verdes no ranking EPI


  • Suíça lidera o ranking como o país mais verde do mundo
Já imaginou um país que preserva o meio ambiente, utiliza racionalmente os recursos naturais e cuida do bem estar e da saúde da população? O nível de sustentabilidade dos países foi listado por especialistas das universidades americanas de Yale e de Columbia e o resultado foi o Environmental Performance Index (EPI).

O ranking mede o desempenho ambiental de 132 países utilizando 22 indicadores distribuídos em 10 categorias: critérios de saúde ambiental; poluição do ar; recursos de água; biodiversidade e habitat; recursos naturais; florestas; alterações climáticas, entre outros.

No ranking o Brasil ficou no 30º, graças à biodiversidade e o investimento em energia renovável, abaixo da Colômbia, Eslovênia e Taiwan. A Islândia, que liderou a lista em 2010, caiu para o 13º lugar (?). Os 10 países que lideram o ranking podem ser conferidos a seguir.

1-Suíça (76.69 pontos)

Recordista mundial em usinas geotérmicas, cuja energia é quase totalmente vertida para aquecer casas, escritórios, hotéis e estufas durante os meses de inverno, o país reduziu progressivamente o uso de combustíveis fósseis e nuclear e se destaca nos quesitos emissão de dióxido de carbono, qualidade do ar e políticas ambientais.

A Suíça foi um dos primeiros países da Europa a exigir o uso de catalisador e o controle do gás de escapamento dos carros, há 20 anos. O país possui também destaca-se no quesito conservação da biodiversidade e proteção de habitats naturais, com uma pontuação de 98,1.

Os suíços são adeptos da mobilidade sustentável, principalmente da bicicleta. Ao menos 10 ciclovias nacionais cortam o país de ponta a ponta. Lá, taxas para serviços de água e gestão de resíduos, além de impostos ambientais, são comuns.

2-Letônia (70.37 pontos)

Turistas e especialistas ambientais costumam dizer que o país inteiro é um gigante parque natural. A vitalidade de seus ecossistemas e a proteção às florestas, que ocupam 44% do território, lhe rendem pontuações altas no EPI.

Mesmo as áreas dedicadas ao cultivo agrícola e à criação de gado são cuidadosamente delimitadas e tendem a seguir as práticas mais sustentáveis. Dados oficiais indicam que o uso de pesticidas caiu 12 vezes desde 1990 e que, atualmente, ao menos 200 fazendas adotam práticas ecológicas, que dispensam agrotóxicos e outros produtos químicos industrializados, usando apenas compostos naturais.

A redução de emissões é uma meta importante para o país, que desde 1990 reduziu a poluição por fontes fixas (fábricas, casas e caldeiras) em 46%.

3-Noruega (69.92 pontos)

O país pretende se tornar carbono neutra até 2030, ou seja, todas as suas emissões devem ser compensadas. Ao menos dois terços das emissões serão reduzidas com ações ambientais internas e o restante será compensado através de financiamentos de projetos sustentáveis em países em desenvolvimento, como geração de bioenergia e proteção de florestas.

A meta é ambiciosa por causa das altas emissões derivadas de suas exportações volumosas de óleo e gás natural. Em 2009, a Noruega inaugurou a primeira estrada com rede integrada de postos de abastecimento a hidrogênio em todo o mundo. O país leva nota máxima no EPI no quesito saúde ambiental e na conservação de suas reservas naturais.

A Noruega levou a nota máxima na conservação natural


4-Luxemburgo (69.2 pontos)

Mesmo em tempos de crise econômica, o país empenha-se para garantir um crescimento “verde” e sustentável. O país investiu mais de 70 milhões de euros na expansão do setor de energia solar fotovoltaica, entre 2001 e 2008.

Em 2009, Luxemburgo adotou programas de incentivo à população para compra de carros ecológicos e eletrodomésticos mais eficientes em energia.O país também leva pontuação máxima em saúde ambiental e proteção à biodiversidade e habitats naturais.

5-Costa Rica (69.03 pontos)

A exemplo da Noruega, o governo costa-riquenho também estabeleceu a meta de tornar a região carbono neutra até 2021. O país, que sofreu com o desmatamento durante anos, tem como um dos seus principais objetivos reflorestar as regiões devastadas. Nos últimos anos, mais de cinco milhões de árvores foram replantadas.

Aproximadamente metade da área do país encontra-se coberta de bosques e selvas e 25% do território está sob proteção ambiental. Os investimentos em energias alternativas e índices inéditos de recuperação da mata nativa fazem da Costa Rica referência mundial.

6-França (69.03 pontos)

O país destaca-se pela política agressiva de eficiência energética, que prevê a redução das emissões de gases efeito estufa em 20% até 2020 além da expansão da matriz de fontes renováveis para 25% no mesmo período. Metas nada fáceis para um dos mais dependentes de energia nuclear do mundo. Aproximadamente 75% de toda eletricidade vem de usinas atômicas.

A França apresentou bom desempenho em saúde ambiental, indicador que avalia a interação entre a natureza, a saúde humana e o desenvolvimento. O país também se destaca por ser um dos países que mais protegem suas florestas, com um programa forte de recuperação ambiental.

O mais recente projeto verde francês de repercussão mundial é o programa de aluguel de carros elétricos Autolib, inaugurado no final de 2011 em Paris.

7-Áustria (68.92 pontos)

Além de arquitetura, história e muita música, o país oferece à sua população e aos visitantes uma natureza incrível e, principalmente, bem conservada.

Uma curiosidade: o país possui um programa que estimula a população a cultivar jardins com plantas e flores locais em suas casas.

Áustria estimula o cultivo de jardins e flores

8-Itália (68.9 pontos)

A Itália tornou-se o primeiro país da Europa a banir as sacolas de polietileno, em janeiro de 2011. Desde então, as lojas italianas, que utilizavam 20 bilhões de sacolas por ano (o maior índice europeu), só podem oferecer sacos de papel, pano ou de materiais biodegradáveis.

Diante do naufrágio do cruzeiro em uma ilha paradisíaca de rico ecossistema (costa da concórdia), o governo italiano resolveu enrijecer as regras de navegação na costa e limitar a aproximação de grandes embarcações da costa.

9-Reino Unido (68.82)
Desde o início dos anos 90, o governo adotou uma política para promover o uso sustentável das florestas com o objetivo de implementar o manejo sustentável e assegurar uma expansão constante da cobertura florestal.

Nos últimos anos, o Reino Unido vem oferecendo generosos incentivos para o desenvolvimento de tecnologias ambientais, que vão do tratamento de água à reciclagem, a fim de atender às rígidas metas nacionais e da União Europeia para redução de emissões. O país é líder no G8 no combate às mudanças climáticas.

10-Suécia (68.82 pontos)

O esforço em adotar fontes alternativas de energia é um dos pontos de destaque no país. Há cidades, como Borás, que reciclam a maior parte dos resíduos sólidos gerados pela população transformando-os em energia. A produção de bioenergia abastece casas, estabelecimentos comerciais e até mesmo frotas de ônibus, que integram o sistema de transporte público.

Essa geração limpa foi implementada para atender uma rigorosa legislação que proíbe a existência de aterros sanitários nos países da União Europeia. A Suécia foi também um dos primeiros países onde as leis de conservação da floresta entraram em vigor, em 1886. Atualmente, a cobertura florestal corresponde a 69% do território do país.

O Brasil ocupa a 30º colocação


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.