segunda-feira, 16 de maio de 2011

União Europeia apresenta seis medidas para combater a perda de biodiversidade


Peixes são vítimas da pesca predatória no mundo inteiro
Maior controle sobre espécies invasoras, aplicação integral da legislação existente, maior utilização de infraestruturas verdes, assegurar a sustentabilidade das atividades agrícolas e florestais, salvaguardar e proteger as unidades populacionais de peixes da União Europeia (UE) e reforçar a contribuição da UE para a construção de um mundo mais sustentável.
São essas as seis iniciativas divulgadas no dia 5 de maio pela Comissão Europeia presente em Bruxelas. Essas medidas deverão ser cumpridas até 2020 e, segundo Janez Potočnik, comissário europeu para o Meio Ambiente, o controle sobre as espécies invasoras deverá ser um ponto bastante discutido pelo órgão durante os próximos dez anos.
“A biodiversidade está em crise com a extinção de espécies a atingir níveis elevados. Muitos ecossistemas já não são capazes de proporcionar a grande variedade de elementos dos quais dependemos, desde água e ar limpos até à polinização de culturas”, afirmou o comissário.
De acordo com ele, a "degradação" da biodiversidade já atinge a União Europeia economicamente. Na polinização por insetos por exemplo, os países poderão perder cerca de 15 bilhões de euros por ano se os animais não forem protegidos corretamente.

Salvaguardar os peixes: Pescadores serão pagos para recolher plásticos

Jonez Potocnik comunicou seis medidas da UE 
para preservação da biodiversidade/Foto:European Parliament

Uma das medidas para reduzir a perda de biodiversidade na Europa é o incentivo a proteção das unidades populacionais dos peixes da UE.
Sobre o assunto, uma campanha chamada Fish Fight denunciou as indústrias pesqueiras que jogam de volta ao mar os peixes capturados, mas não utilizados, seja por questão de pesca inadequada ou pelo baixo de valor do mercado do peixe.
Dessa forma, a campanha sensibilizou a população. São 674 mil pessoas no mundo inteiro contra a pesca predatória inadequada e o governo, após as manifestações, afirma que vai intervir no processo pesqueiro.
Uma dessas mudanças foi sugerida pela Comissária da Pesca da UE, Maria Damanaki. Ela acredita que a situação pode ser revertida caso os pescadores comecem a ser pagos para recolher plásticos do mar. Assim, os pescadores teriam mais uma fonte de renda e poderiam evitar que os modelos de pesca predatória sejam prosseguidos.
“Terminar com a prática de jogar fora peixes que servem perfeitamente como alimento é do interesse dos consumidores e dos próprios pescadores”, afirmou Maria para o jornal britânico The Guardian.

Assita ao vídeo da campanha do Fish Fight:


Redação EcoD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.