sábado, 11 de junho de 2011

Prédio Sustentável do Espaço Sebrae de Conhecimento, inspirado em Tribos Indígenas do Mato Grosso


"Lei de Resíduos Sólidos é prioridade", afirma gestora do Centro Sebrae de Sustentabilidade
Confira entrevista ao portal EcoDesenvolvimento.org


Prédio do Espaço Sebrae de Conhecimento foi inspirado nas casas Xinguanas, uma das principais tribos indígenas do Mato Grosso
Um espaço propulsor de conhecimento e de boas práticas de sustentabilidade, no qual os empreendedores podem ter acesso às informações a partir do atendimento no Sebrae de cada estado. O objetivo é aumentar a competitividade dos pequenos negócios no país, sem que para isso seja necessário agredir o meio ambiente. Assim é o Centro Sebrae de Sustentabilidade, inaugurado na segunda semana de abril deste ano em Cuiabá, capital do Mato Grosso.

Situado no interior do moderno prédio do Espaço Sebrae de Conhecimento, construção erguida por meio de princípios sustentáveis, como resgate da sabedoria de povos ancestrais na tecnologia e design do empreendimento, aproveitamento da água da chuva e luz natural, o Centro Sebrae de Sustentabilidade tem o propósito de gerar e disseminar o conhecimento sobre o tema nas micro e pequenas empresas.

Nesta entrevista ao portal EcoDesenvolvimento.org, a gestora do Centro Sebrae de Sustentabilidade, Suênia Sousa, detalha como funciona este espaço sustentável, enraizado em um estado campeão nacional de desmatamento em razão de atividades econômicas como a pecuária intensiva, e porque a Política Nacional de Resíduos Sólidos é tratada como um dos eixos prioritários no local.

EcoD: O que é e como funciona o Centro Sebrae de Sustentabilidade?

Suênia Sousa: Ele surgiu como uma oportunidade de o Sistema Sebrae, que se articula em todos os estados, a juntar suas experiências no âmbito do desenvolvimento sustentável, na micro e pequena empresa.

Nós temos Sebrae em todos os estados e cada um deles possui uma particularidade. Então, o Sistema Sebrae, que é nacional, decidiu que entraria com o tema da sustentabilidade como um eixo transversal de atuação em todas as atividades econômicas que nós atendemos. Foi organizado, então, um centro referência em sustentabilidade em Mato Grosso, para que todo o sistema pudesse colocar as suas experiências, fazer uma seleção de conhecimentos que estão espalhados por todo o Brasil. Este centro capta esses conhecimentos e os dissemina em todos os estados.

EcoD: Até para facilitar a atuação do Sebrae, no caso.

Suênia Sousa: Sim, sem dúvida. O Rio de Janeiro faz eficiência energética e aí atende a várias áreas econômicas. O Sebrae do Espírito Santo tem negócios sustentáveis desenvolvidos na cadeia de resíduos sólidos. O de Mato Grosso trabalha muito com a difusão da cultura da sustentabilidade na pequena empresa e programas de liderança sustentável. Tudo isso vem para o centro e nós disseminamos isso de uma forma que um Sebrae possa usar a experiência do outro.

É um espaço de geração e disseminação do conhecimento. De geração porque para aumentarmos essa atividade de sustentabilidade das empresas a gente busca boas práticas fora do país, com parceiros. E de disseminação porque ocorrem as trocas.

Em entrevista ao EcoD, Suênia Sousa destacou que o Centro Sebrae de Sustentabilidade tem capacidade de gerar e disseminar conhecimento/Foto: Assessoria Sebrae/MT

EcoD: Tem alguma motivação especial para que o Centro Sebrae de Sustentabilidade esteja situado em Mato Grosso?

Suênia Sousa: O Sebrae/MT trabalha com este tema (sustentabilidade) há mais de dez anos, até porque é necessário, uma vez que o nosso estado é um dos maiores emissores de gases-estufa [por meio do desmatamento]. A nossa atividade econômica traz muitos prejuízos aos ecossistemas.

Há um ano nós construímos um prédio que tem o nome de Espaço Sebrae de Conhecimento, que é bem peculiar, pois foi concebido com os princípios da arquitetura sustentável. O Sebrae Nacional entendeu que aqui (em Cuiabá) poderia ser realizado esse centro de referência.

Esse prédio tem o objetivo de que os empresários possam ter experiências ecotécnicas, digamos, ao vivo (risos), experiências feitas a partir do que nós conhecemos.

O Sebrae criou este centro por saber que esta é uma temática que precisa estar presente na vida da pequena empresa - Suênia Sousa, gestora do Centro Sebrae de Sustentabilidade.

Construção respeita a preservação da vegetação nativa, aproveita a água da chuva e possui luminárias solares: Foto: Rai Reis

EcoD: E quais são os princípios de sustentabilidade que foram aplicados na construção do prédio?

Suênia Sousa: Começa pelo resgate da sabedoria de nossos povos ancestrais. Ele tem a forma de uma casa Xinguana – que são os povos que habitavam o Mato Grosso. Nele, nós trazemos tecnologias que dão conforto ao ambiente. A estrutura é construída em duas cascas que resfriam, internamente, quando chove, e insulam quando está quente. Temos 100% de iluminação natural, luminárias solares, aproveitamento da água de chuva, espaços completamente abertos, vegetação nativa preservada, o básico em se tratando de uma construção sustentável. Mas o forte mesmo é trazer tecnologias das casas indígenas nele, como recurso de conforto ambiental.

EcoD: Como funcionam as operações no centro?

Suênia Sousa: O pequeno empresário deve procurar o seu Sebrae estadual, que por sua vez se conecta com o centro e, rapidamente, nós tentamos ajudar o máximo que for dentro desses eixos prioritários.

EcoD: Quais são esses eixos?

Suênia Sousa: O primeiro deles é a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Como é que a micro e pequena empresa vai se organizar para o cumprimento do marco regulatório, e as oportunidades de negócio que têm dentro dessa política e na Política Nacional de Eficiência Energética. São os dois principais eixos do centro.

Desenvolvemos estudos técnicos e políticas públicas voltadas para as micro e pequenas empresas nos municípios, pois o Sebrae tem uma atuação muito grande nessa área – a participação da entidade na Lei Geral e no Empreendedor Individual são exemplos disso. Um dos principais objetivos, nesse sentido, é conseguir financiamentos para o pequeno empresário, pois essas novas leis demandam novas tecnologias para serem incorporadas nos negócios.

O Sebrae reconhece, assim, que a sustentabilidade é um assunto prioritário na agenda dos governos e das empresas.
Assista a animação que detalha o projeto sustentável do prédio:

por Murilo Gitel/da Redação EcoD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.