sexta-feira, 17 de junho de 2011

Eco Parade - Arte pela educação ambiental

O uso da arte para incentivar a reciclagem em São Paulo

capa.jpg
A cidade de São Paulo produz diariamente 17 mil toneladas de lixo, mas só recicla 1% de todo esse material. Uma situação que não é tolerada por Renato Becker, gestor ambiental e empresário. Motivado em sensibilizar a sociedade por um novo comportamento, lançou na capital paulista o movimento Eco Parade, uma intervenção urbana que une arte e educação ambiental.
“Lixo é uma estupidez gigante”, diz Becker ao afirmar que as pessoas precisam despertar para o fato de que o ciclo de vida de um produto não termina com o simples descarte em lixeiras, e que cada um deve ser responsável pelo que consome e por aquilo que seu consumo produz.

"Os resíduos só viram 'lixo' quando são destinados no lugar errado. Portanto, se encaminharmos nossos resíduos para a reciclagem, não produziremos lixo, e sim ecossistemas sustentáveis”, esclarece.
Apoiado pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, o movimento irá instalar, a partir do dia 18 de junho, 30 coletores de resíduos sólidos personalizados com obras de arte em oito parques da capital paulista.
As "Eco Bases", como foram batizadas, são equipadas com dois coletores - um para vidro e outro para receber papel, plástico e metal. Como o objetivo despertar a atenção, os organizadores criaram as eco bases em formato de uma pequena casa, com reproduções de obras de 28 artistas de grafite e artistas plásticos. 
O lançamento oficial da iniciativa ocorreu no dia 15 de junho e ficará exposta ao público durante 90 dias, contando a partir de sábado (18). Durante o período o serviço de coleta seletiva resgatará diariamente os resíduos das Eco Bases e os encaminhará paras as centrais de coleta especifica de cada parque. 
Os cooperados farão o tratamento adequado dos materiais e toda a renda será revertida para a qualificação profissional deles. Os resíduos serão rastreados através de um serviço de auditoria ambiental que irá publicar relatórios em diversos canais de comunicação.
Arte pela educação ambiental 
De acordo com Renato Becker, a criação de coletores semelhantes a "casinhas" não foi à toa. “As pessoas sentem amor inconscientemente por suas casas, então a casinha é pra que elas tenham amor pelo lixo – só é lixo quando é jogado fora”, disse.
Além de sensibilizar as pessoas para essa questão e utilizar obras de arte para a construção de uma sociedade mais participativa, o projeto tem ainda como objetivos:

- Educar as pessoas de que pequenas atitudes têm grande valor;
- Intervir artisticamente no espaço urbano, democratizando a cultura;

- Ampliar a prática da reciclagem;

- Diminuir o volume de lixo e ampliar os recursos para os profissionais de reciclagem;

- Engajar marcas no compromisso socioambiental;

- Incentivar uma nova maneira de produzir e consumir.

As peças originais dos artistas serão expostas em duas galerias ao longo do projeto e, posteriormente, leiloadas tendo a renda revertida para entidades de escolha dos artistas.
Quem tiver interessado em ver as obras e contribuir com a causa pode visitar as Eco Bases que estarão espalhadas pelos parques: Aclimação, Buenos Aires, Ibirapuera, Burle Marx, Independência, Jardim da Luz, Povo e Trianon. A estimativa é de que sejam coletadas 500 toneladas de reciclável ao longo dos três meses de projeto.
Veja na galeria algumas imagens das Eco Bases e as obras originais:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar!

Às Estrelas


The Most Astounding Fact
O Fato Mais Importante (Legendado)

PET



Medicamentos - Descarte Consciente


Google Street View - Dados cartográficos

A gigante de couro pode atingir dois metros de comprimento e pesar até 750 kg.